A Moro Filmes teve o prazer de fazer parte da exposição Tupi or Not Tupi, approved no Museu Oscar Niemeyer.
Segue matéria que sobre a exposição no G1:Tupi or Not Tupi_Moro Filmes_G1

Exposição ‘Tupi or Not Tupi’ faz um panorama das artes brasileiras
Mostra fica em cartaz até setembro no Museu Oscar Niemeyer, viagra dosage em Curitiba.
Pinturas, esculturas e instalações compõem a exposição.

Começou neste sábado (31) a exposição “Tupi or Not Tupi”, no Museu Oscar Niemeyer (MON), em Curitiba. A mostra faz um panorama das artes brasileiras desde a Semana de Arte Moderna de 1922 até a atualidade. A produção artística em diferentes momentos da história do Brasil – passando pelo Modernismo, Estado Novo, Anos Dourados, Anos de Chumbo e chegando à contemporaneidade – é apresentada em uma leitura cronológica. Obras-chave da cultura brasileira nestes diferentes períodos são destacadas na mostra, assim como a produção cultural do Paraná.

Obras nos campos das Artes Plásticas, Artes Gráficas, Dança, Teatro, Música, Documentário, Fotografia, Performance, Design, Arquitetura, Cinema, Televisão e Literatura compõem a exposição, que tem curadoria geral de Consuelo Cornelsen. “Tupi or Not Tupi” segue em cartaz até o dia 21 de setembro.

Pinturas, esculturas e instalações de referência na produção visual brasileira do século 20 de artistas como Anita Malfatti, Tarsila do Amaral, Vicente do Rego Monteiro, Portinari, Lasar Segall, Guignard, Cícero Dias, Flavio de Carvalho, Pancetti, Victor Brecheret, Djanira, Iberê Camargo, Di Cavalcanti, Lygia Clark, Helio Oiticica, Cildo Meireles, Tunga, entre outros, estão dispostas pela exposição

A produção paranaense está representada por artistas como Guido Viaro, Theodoro de Bona, José Antônio de Lima, Alfredo Andersen, Domicio Pedroso, Helena Wong e Miguel Bakun. A exposição traz ainda holografias, performances, leituras dramáticas, exibição de vídeos, instalações e arte interativa.

‘Tupi or Not Tupi’
Em 1928, o escritor Oswald de Andrade apresentou o Manifesto Antropofágico – documento em que exaltava a identidade e a criatividade brasileiras por meio das manifestações culturais. O documento se tornou um marco do Modernismo no Brasil e “Tupi, or not tupi that is the question” é uma das metáforas do manifesto.

A provocação do Manifesto Antropofágico foi o ponto de partida para a exposição que exalta a identidade brasileira por meio das manifestações culturais nas Belas Artes, de acordo com o MON.

Fonte: G1