Matéria sobre a adaptação para cinema do livro Três ViajantesTrês_Viajantes_Gazeta do Povo

Universo fantástico de Thiago Tizzot vai ganhar o cinema

O universo povoado por guerreiros, magos e criaturas sobrenaturais criado por Thiago Tizzot guarda semelhanças com o de J.R.R. Tolkien, autor da saga “O Senhor dos Anéis”. Não por acaso, afinal, o escritor sul-africano foi a grande inspiração para que o curitibano ingressasse na literatura fantástica. Agora, as duas obras estão prestes a ganhar mais um ponto em comum: a transposição para a tela do cinema.

Lançado no ano passado,“Três Viajantes” é o terceiro livro de Tizzot e conta a história de um grupo de prisioneiros que parte em uma aventura para tentar desvendar um segredo. A obra despertou o interesse da produtora Moro Filmes, que recentemente comprou os direitos para realizar uma adaptação cinematográfica. E não deve ser coisa pequena. A produção internacional será dividida entre Brasil, Chile e Estados Unidos.

Segundo Tizzot, o projeto ainda está em fase de negociações, portanto, não é possível adiantar nomes para a direção e o elenco. “Tudo ainda está na fase inicial, a produtora foi para os Estados Unidos justamente para procurar fazer a coisa andar. Mas a tendência é que uma parte do elenco seja de fora, outra daqui”, revela. Há, inclusive, a possibilidade de nomes consagrados participarem do filme.

O escritor conta que a ideia de levar sua obra para o cinema já vinha sendo estudada pela Moro Filmes (produtora sediada em Curitiba) antes mesmo do lançamento de “Três Viajantes”. A ideia era encontrar um trabalho que permitisse abranger não apenas o cinema, mas também outras mídias como televisão, videogames e histórias em quadrinhos. “O universo criado em ‘Três Viajantes’ permite esse desmembramento, já que abre lacunas para outras narrativas e personagens”, ressalta.

Com uma linguagem simples e dinâmica, “Três Viajantes” narra a história de Estus, Rusc e Lisael, três prisioneiros que se encontram na masmorra de uma fortaleza em Breasel, a “Terra Média” criada por Tizzot. Após conseguir fugir da prisão, o trio se une à andarilha Aetla para descobrir se os oráculos realmente existem e se é possível saber o futuro. Para isso, precisam percorrer o deserto perseguidos pelo Senhor de Perfain e enfrentando as temíveis “bestas”.

Esse é o terceiro livro de Thiago Tizzot, que havia lançado anteriormente “O Segredo da Guerra” e “A Ira dos Dragões”. Além de Tolkien, os jogos de RPG, em que os participantes assumem personagens e criam narrativas fantásticas, foram inspiração para sua obra. “Sempre imaginei para minhas obras um mundo vivo, que parece andar e estar em constante movimento”, conta o autor, que em breve poderá ver isso se materializar na tela grande.

 

Fonte: Gazeta do Povo