10 Maneiras que Roger Corman Mestre do filme-B mudou o Cinema

Roger Corman durante as filmagens de Bloody Mama, seu filme sobre gansgers de 1970.
Roger Corman durante as filmagens de Bloody Mama, seu filme sobre gansgers de 1970.

Por 60 anos, Roger Corman vem fazendo filmes independentes com orçamentos que nem sequer cobrem os custos de restauração de um filme blockbuster.

O lendário rei dos filmes B produziu cerca de 400 filmes e dirigiu cerca de 50 filmes, incluindo clássicos cult  A Pequena Loja dos Horrores de 1960 (que ficou famosa por ter sido filmada em apenas dois dias), Corrida da Morte – Ano 2000  filme de 1975 (co-estrelado por um Sylvester Stallone antes de Rocky) e a série de filmes Carnossauro dos anos 90 ‘daquelas tão ruim que são boas’. No processo ele lançou as carreiras de protegidos, como James Cameron e Martin Scorcese, e inspirou dezenas de outros cineastas da atualidade com filmes de grande entretenimento e baixo custo.

Alex Stapleton diretora de O Mundo de Corman: Proezas de um Rebelde de Hollywood , um documentário que examina o legado de Corman lançado em  2011, comenta pontos importantes do legado de Roger Corman no Cinema atual.

1) Ele trouxe para a tela alguns dos maiores atores do mundo

Jack Nicholson, Robert De Niro, Dennis Hopper – por que tantas de estrelas de Corman passaram a se tornar lendas de Hollywood? “Porque ele tinha a capacidade de encontrar atores que deram tudo de si, não importa o que o material era”, diz Stapleton. “Ele contratou pessoas cuja atitude era: Se eu vou estar em um filme de mulheres na cadeia, eu irei  torná-lo o filme o melhor filme de mulheres na cadeia que já se viu.”

2) Ele trouxe credibilidade para o Cine Exploitation (Cinema Apelativo)

Antes de Corman entrar em cena, ficção científica, horror e filmes de ação eram vistos pela maioria dos frequentadores de cinemas convencionais como coisa de criança. “Mas nos anos 1970, Roger tinha ficado tão bom em filmes do gênero que se tornou descolado para as pessoas ir vê-los”, diz Stapleton. “Muitos fãs de cinema decidiram que gostavam  mais do estilo de filme que Corman fazia do que dos filmes mais sérios, celebrados ou artísticos que estavam saindo na época.”

3) Ele lançou as bases da explosão de “filmes que seus pais não querem que você veja.”

Corman e seus colegas foram os pioneiros na idéia de fazer filmes adolescentes transgressivos, com o propósito explícito de apelar para o espírito rebelde dos jovens. “Antes disso, os filmes sobre adolescentes eram como Rebelde Sem Causa, onde você poderia dizer que o cineasta era um adulto”, diz Stapleton. “Nos filmes do Corman, não há voz da razão de um adulto, não há nenhuma qualidade de ‘eu te avisei’, se é em Mulher sem Rumo nos anos 50 ou em Rock ‘n’ Roll High School, nos anos 70. Você simplesmente não poderia imaginar um filme que termina com crianças explodindo sua escola antes de Roger Corman aparecer”.

4) Ele deu a primeira oportunidade a alguns dos maiores diretores de Hollywood.

James Cameron, Peter Bogdanovich, Francis Ford Coppola, Jonathan Demme, Curtis Hanson, Ron Howard, John Sayles e Martin Scorsese todos começaram sua carreira trabalhando para Corman. “Ele é uma pessoa muito rara em Hollywood pois ele não é competitivo”, diz Stapleton. “Outras pessoas podem não querer um jovem Coppola trabalhando para eles, porque os fazem sentir ameaçados. Mas Corman sempre desempenhou um papel paterno sobre esses caras.”

5) Ele fez do Cinema Indie algo descolado.

Com a escolha de Corman de fazer filmes de forma independente veio a liberdade de saciar todo tipos de escolhas criativas selvagens que muitas vezes ele fez. “Os filmes de Corman pareciam diferente, soavam diferente, e definitivamente retratando coisas que não teriam sido capazes de aparecer em uma produção de grande estúdio”, diz Stapleton. “Havia uma estética particular, que se desenvolveu a partir da independência de Corman, e inspirou muitos outros cineastas que decidiram que eles também queriam trabalhar fora do sistema.”

6) Ele foi pioneiro no Cinema Guerilha.

No decorrer da produção de 400 filmes de extremo baixo orçamento, Corman inventou uma grande variedade de maneiras de obter o trabalho feito de forma barata. “Ele foi o mestre de otimizar qualquer oportunidade de obter algo atraente para a câmera”, diz Stapleton. “Nancy Sinatra, Peter Fonda e outros me disseram que Corman costumava dizer aos seus cinegrafistas para perseguir  ambulâncias e caminhões de bombeiros e filmar qualquer ação que estivesse acontecendo. Ele mais tarde iria descobrir uma forma de usar as imagens em um filme “.

7) Ele aperfeiçoou a fórmula que tornou-se o sucesso de Hollywood.

Nos anos 70, a era dos grandes sucessos de bilheteria surgiu com cineastas que tomaram a fórmula de Corman para o próximo nível, adicionando muito dinheiro e talento refinado à mistura. “Steven Spielberg e George Lucas foram obviamente influenciados por Corman quando fizeram Tubarão e Star Wars“, diz Stapleton. “E James Cameron, que começou sua carreira trabalhando para Corman, tem consistentemente provado que você pode fazer filmes épicos que são baseados 100 por cento sobre a estrutura de filmes de gênero no estilo Corman”

8) Ele trouxe filmes de arte para as massas.

Embora Corman seja conhecido principalmente pela centenas de filmes-B que ele dirigiu e produziu, ele também foi responsável por trazer os filmes de arte estrangeiros de Kurosawa, Bergman e Fellini aos Drive-ins americanos. “Esses eram os filmes que as pessoas fora de Los Angeles e Nova York nunca tiveram a chance de ver antes”, diz Stapleton. “Corman amou esses filmes e sabia que haveria uma audiência para eles. Foi um movimento enorme, e algo que a Miramax e muitas outras empresas de filmes independentes nos anos 80 e 90 usariam como modelo. ”

9) Ele trouxe a contracultura dos anos 60 para a tela.

No início dos anos 60, Corman tentou sair do seu nicho com o filme The Intruder, um filme sério e fora dos padrões sobre o racismo. Embora o filme tenha ido mal nas bilheterias (que Corman chama de o único filme que ele perdeu dinheiro), Corman estava determinado a continuar fazendo filmes com mensagens sociais. “Ele começou a colocar em seus filmes material de contracultura que estava acontecendo naquela época”, diz Stapleton. “Foi uma coisa radical para um cineasta fazer naquele momento. Ele fez o primeiro filme sobre o LSD, The Trip, e outro sobre o grupo de motociclistas Hells Angels, chamado Wild Angels. Ele foi capaz de mostrar às pessoas todas as coisas que estavam acontecendo na contracultura e ao mesmo tempo proporcionando as lutas, ação,  sangue e as tripas que as pessoas queriam ver. ”

10) A sua obra continua a influenciar cineastas hoje.

Enquanto a estética de Corman inspirou diretamente cineastas como Quentin Tarantino e Robert Rodriguez, você pode ver sua influência de forma sutil no trabalho de dezenas de outros diretores. “Se eles não estavam assistindo filmes do Corman, eles estavam assistindo filmes feitos por homens que trabalhavam para Corman”, diz Stapleton. “Todo mundo, de Jonathan Demme a Ron Howard ou Martin Scorcese me disse que Roger Corman ensinou-lhes que é necessário fazer o seu antagonista ainda mais interessante do que o seu protagonista. E se você olhar para grandes filmes de hoje, que é como eles são feitos. ”

Esta matéria foi originalmente publicada no site wired.com e pode ser vista aqui.
Matéria livremente traduzida por Lucila Bach com autorização de Eric Stauer.

Roger Corman estará no Brasil onde dividirá suas experiências em uma Masterclass durante o evento Madrugada Sangrenta. Maiores informações.

Mais informações sobre Julie Corman, esposa de Roger Corman e produtora de filmes como Sexy e Marginal de Martin Scorsese, clique aqui.